O que aconteceu em Stonewall

Em 2019 a parada LGBT homenageou os 50 anos de Stonewall, revolta que marcou o início da luta LGBT.

Caso você não saiba do que se trata e queira descobrir mais sobre as raízes do nosso movimento, continue lendo, pois esse texto é para você. Você vai descobrir porque 28/6 é um dia de muito orgulho, e vai se motivar a continuar lutando.

Onde tudo começou

O dia era 28 de junho de 1969. O local era o bar Stonewall Inn, em NY, o point gay da cidade naquela época. Na década de 60 os LGBTs eram extremamente reprimidos pelas autoridades, sendo presos sem motivos.

O cenário daquela noite foi de filme de guerra, revoltas que se seguiram por cinco dias para lutar pelo direito de ser quem eram, amar quem amavam.

A repressão naquele ano era tão intensa pois aconteciam as eleições para prefeito em Nova York e os policiais queriam mostrar produtividade em trabalho, fazendo normas de condutas anormais.

Bares que vendiam para pessoas abertamente homossexuais corriam risco de perder a licença para comercializar bebidas alcoólicas.

O Stonewall Inn era ilegal e a denúncias corriam à solta. O bar tinha denúncias de bebidas falsificadas pela máfia, por isso departamento de polícia decidiu naquele dia, sem o apoio da policia local do bairro, invadir.

As pessoas revidaram

Os policiais quando entraram no estabelecimento esqueceram dos procedimentos padrões para a abordagem. Foram violentos e desrespeitosos com os clientes do bar. Resolveram levar todos para a delegacia e quando saíram para fora uma multidão estava na rua observando.

A confusão começou ali. Jogaram pedras e moedas nos policiais que estavam sendo violentos. As pessoas que estavam sendo presas ali sorriam para a multidão. Os policiais os reprimiam com seus cassetetes, e pela revolta resolveram os levar de volta para dentro do bar, os trancando lá.

O sentimento de ódio estava no ar. Não iriam mais aceitar a violência que sofriam sem motivo. A multidão lá fora jogava pedras, garrafas, lixo no bar. Logo um incêndio começou. Os policiais saíram de dentro do lugar com as pessoas que estavam presas.

Mesmo com as prisões acontecendo, os LGBTs dançavam e cantavam, eles conseguiram humilhar os policiais, estavam em busca da sua liberdade e não iriam parar.

Todo o ocorrido durou 45 minutos, os bombeiros chegaram com mais viaturas, mas nada voltaria normal. O Stonewall estava destruído, mas a coragem tinha sido construída e ninguém iria a derrubar.

No dia seguinte a multidão voltou maior ainda, mesmo queimado, o bar foi aberto, as pessoas tinham perdido seu local secreto para demonstrar afeto, mas agora era diferente: demonstrariam em público. A policia voltou violenta como antes, mas eles não desistiram.

Essas rebeliões duraram mais cinco dias, mas nada voltaria ao normal, logo nos meses seguintes movimentos pelos direitos LGBTs ocorriam no país inteiro.

A Revolta de Stonewall foi o marco para nossa comunidade. No aniversário de 1 ano do ocorrido, aconteceu a primeira parada do orgulho LGBT nos EUA. O dia ficou conhecido mundialmente e hoje comemoramos o dia do orgulho LGBT no dia 28/6 por conta dessas pessoas que não aceitaram mais serem tratadas como marginais apenas por amar.

É importantíssimo não esquecer do ocorrido naquele ano pelo fato de uma população em revolta, por ser extremamente violentada lutou em nome de coisas que devem ser direitos essenciais e fundamentais para uma sociedade justa: o direito de as pessoas serem o que são e o que quiserem ser, e o amor.


Sugerido: Após 50 anos, polícia novaiorquina pede desculpas por invasão em Stonewall

Siga-me: Instagram | Twitter | Facebook

Gostou do conteúdo? Clique em algum anúncio para apoiar o blog. Só assim ele será monetizado e poderá continuar ativo! 🌈♥️

+ Análise: Bolsonaro veta vestibular para transexuais

Giovanna Bega

Autor: Giovanna

18 anos, bissexual e aspirante a jornalista, no momento tentando passar no vestibular