Descubra porque só mulheres LGBTs podem usar esse anel

Atualmente, dentro da comunidade LGBT o “anel de coquinho” é conhecido como símbolo de identificação para as mulheres LGBTs. Algumas chegam a se confundir quando encontram mulheres heterossexuais usando o objeto. Entretanto o anel de tucum não tinha a mesma finalidade quando apareceu pela primeira vez, durante o Brasil colonial.

A luta pelos mais pobres:

Enquanto a realeza usava jóias feitas de ouro e outros metais nobres, os escravos e índios criaram um anel feito de uma palmeira comum na Amazônia, o tucum. Era secretamente usado como como símbolo de amizade, resistência e para pactos matrimoniais.

Com a Teologia da Libertação, nos anos 60, quando o apelo a causa dos mais pobres e abandonados começou a crescer em toda a América latina, os cristãos passaram a ter no anel de tucum um símbolo de fé e compromisso.

Nesse período houve um grande grupo de pessoas dedicadas à lutar pelos mais fracos, rendendo muitos testemunhos e martírios. O documentário abaixo conta uma parte da história desse anel.


Gostou do conteúdo? Clique em algum anúncio para apoiar o blog. Só assim ele será monetizado e poderá continuar ativo! 🌈♥️

+ Análise: Bolsonaro veta vestibular para transexuais

Tiago Oliveira

Autor: Tiago

Ator, escritor e compositor. Sou @Oliverti_ em todas as redes sociais. Protejam os animais!